Lesão Medular

lesão medular 1Acontece uma lesão medular por traumatismo, quando ocorre acidentes de carro, motociclísticos, mergulhos em água rasa, agressão por projétil de arma de fogo ou queda, ocasionando lesão das estruturas medulares, impedindo o trajeto dos estímulos nervosos pela medula. A lesão se classifica em completa e incompleta.

Ocorre a lesão completa quando não há movimento voluntário abaixo da área da lesão. Haverá lesão incompleta quando existe algum movimento voluntário ou sensibilidade abaixo do nível da lesão.

Poderá também haver lesão medular por doenças (causas não traumáticas), exemplo: hemorragias, tumores e infecções virais.

MEDULA ESPINHAL: A medula espinhal e o encéfalo formam o sistema nervoso central. A medula é formada por células nervosas (neurônios) e por fibras nervosas longas, denominadas axônios, que são prolongamentos dos neurônios e formam as vias espinhais. As vias descendentes levam sinais criados no cérebro relacionados com o movimento e o controle visceral (sistema nervoso autônomo). As vias descendentes levam sinais relacionados com a sensibilidade que são gerados na periferia e são conduzidos para o cérebro. Muitos axônios são revestidos por bainhas que contêm uma substância complexa formada por gordura, denominada mielina, que proporciona a condução dos estímulos mais rápida.lesão medular 2

Os neurônios se localizam na área central da medula, na substância cinzenta medular, no formato de uma borboleta. Os neurônios que se encontram nas partes posteriores, estão relacionados à sensibilidade e os que se localizam nas porções anteriores, chamados de neurônios motores inferiores, estão relacionados com o movimento.

A medula espinhal é composta por segmentos no trajeto de seu comprimento. As raízes nervosas contidas em cada segmento inervam áreas específicas do corpo.

São oito (C1 a C8) os segmentos da medula espinhal e controlam a sensibilidade e o movimento da região cervical e dos membros superiores.

Controlam o tórax, abdome e parte dos membros superiores, os segmentos da medula torácica (T1 a T12).

Estão relacionados com os movimentos e sensibilidade dos membros inferiores, os segmentos lombares (L1 a L5).

Quem controla parte dos membros inferiores, sensibilidade da região genital e funcionamento da bexiga e intestino são os segmentos sacrais (S1 a S5).

Na região cervical, as raízes nervosas emergem acima da vértebra que corresponde ( a segunda raiz cervical emerge acima da segunda vértebra cervical). As outras raízes emergem abaixo da vértebra correspondente, entre a quarta e a quinta vértebras lombares, emerge a quarta raiz lombar).

Normalmente a coluna vertebral é formada por 33 vértebras, 7 cervicais, 12 torácicas, 5 lombares. 5 sacrais e 4 ou 5 coccígeas.

Abaixo dos níveis citados, são encontradas apenas raízes nervosas, que compõem a cauda equina.

lesão medular3MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS DAS LESÕES MEDULARES: Nas lesões medulares completas, ocorre paralisia, perda de todas as sensibilidades (tátil, dolorosa, térmica, pressão e localização de partes do corpo no espaço), abaixo da lesão, com alteração do controle esfincteriano (urinário e fecal).

As lesões cervicais altas acarretam tetraplegia (paralisia dos quatro membros). Na tetraplegia, a insuficiência respiratória ocorre com frequência, por conta do comprometimento do nervo que comanda a contração do diafragma (nervo frênico).

Nas lesões cervicais baixas, é observada paralisia dos membros inferiores e das extremidades superiores (mãos). Nas lesões torácicas, observa-se paralisia dos membros inferiores.

Na fase aguda da lesão medular, observa-se flacidez dos membros que estão paralisados, reflexos tendinosos abolidos (teste do martelinho no joelho) e retenção urinária. Fase esta denominada de choque medular e poderá durar vários meses. Com o decorrer do tempo, os movimentos poderão se recuperar com o tratamento de fisioterapia instituído, observando-se aumento dos reflexos tendinosos e do tônus muscular. Muitas vezes ocorre a presença de espasmos musculares. A retenção urinária dá lugar à pressa para urinar ou a incontinência urinária. O nível sensitivo, quer dizer, local onde está a alteração sensitiva, também sugere o diagnóstico topográfico da lesão medular. Alteração da sensibilidade até o umbigo, exemplificando, indica uma lesão medular na altura de T10.

As lesões medulares incompletas são divididas em: síndrome medular anterior, síndrome medular posterior, síndrome central, síndrome hemi-medular e síndrome radicular (onde está incluída a síndrome da cauda equina).

Nas síndromes medulares anteriores, observa-se comprometimento dos dois terços anteriores da medula, onde há déficit motor e sensitivo abaixo do nível da lesão medular, em que a sensibilidade profunda (vibratória e noção de posição segmentar no espaço) está conservada. Essa síndrome medular anterior orienta uma compressão anterior da medula, tal como a síndrome associada a hérnias de disco traumáticas ou a lesões isquêmicas secundárias.

As síndromes medulares posteriores são caracterizadas pelo acometimento do cordão posterior, prejudicando a noção de posição corporal no espaço. Há ainda, comprometimento da marcha, com base alargada e levantamento exagerado das pernas.

As síndromes centro-medulares, que têm origem traumática, são mais encontradas em pacientes que já tiveram canal cervical estreito, por exemplo, o associado a processo degenerativo de articulações intervertebrais (espondiloartrose), que são vítimas de lesão associada com hiperextensão cervical. Há comprometimento mais grave da substância cinzenta cervical, que produz fraqueza e atrofia dos membros superiores, com menor acometimento de membros inferiores, pacientes esses que não conseguem deambular e sem alteração sensitiva grave.

As lesões hemi-medulares, também chamadas de síndrome de Brown-Séquard, estão raramente associadas a lesões traumáticas. São identificadas por paralisia e alteração da noção da posição de um lado do corpo no espaço (lado lesionado) e perda da sensibilidade térmica e dolorosa do lado contrário da lesão.

Quando o trauma acontece abaixo de L1, só as raízes da cauda equina ficam com comprometimento.

Fonte:Bengala Legal

Imagens: Bing

[youtube]https://youtu.be/1pTulxUuvY8[/youtube]

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *