Doença de Parkinson (DP) ou Mal de Parkinson

Denomina-se Doença de Parkinson ou Mal de Parkinson a uma doença crônica e degenerativa que acomete preferencialmente pessoas idosas acima dos 60 anos. Caracteriza-se pela diminuição de neurônios do SNC (Sistema Nervoso Central) numa região chamada substância negra ou nigra. A perda de neurônios dessa região reduz o neurotransmissor dopamina , provocando principalmente distúrbios motores. Podendo aparecer também depressão, distúrbios do sono, falta de memória e alterações do Sistema Nervoso Autônomo. As manifestações motoras são: tremores, rigidez e espasticidade muscular, lentidão de movimentos e alterações de equilíbrio e marcha.

A epidemiologia (distribuição na população) da Doença de Parkinson, atualmente tornou-se mais comum, porque mais e mais brasileiros vivem após os 60 anos de idade, tornando o percentual da Doença de Parkinson maior, cerca de 2%, ao que antes era de 1% da população.

DIFERENÇA ENTRE PARKISONISMO E DOENÇA DE PARKINSON:

Parkinsonismo é o conjunto de sinais e sintomas que pode ser revertido por várias causas. O diagnóstico do Parkinsonismo é realizado quando o paciente apresenta bradicinesia (movimentos lentos) acompanhado de um ou mais sintomas de rigidez muscular, tremor e desequilíbrio.doença de parkinson 2

O diagnóstico da Doença de Parkinson é feito só após sua morte, quando é feito o exame do cérebro e se constata a perda de neurônios (células nervosas) na substância negra e presença de corpos de Lewy (pequenas manchas rosadas) nos neurônios que ainda sobreviveram. Só a necrópsia confirma o diagnóstico  da Doença de Parkinson, porém um neurologista experiente, usando exames modernos, pode estabelecer um diagnóstico com 90% de certeza.

Vale salientar que todo paciente com Doença de Parkinson tem Parkinsonismo, mas nem toda pessoa com Parkinsonismo tem Doença de Parkinson.

CAUSAS DA DOENÇA DE PARKINSON:

Atualmente não há certeza das causas da Doença de Parkinson, mas supõe-se que resulte da combinação de fatores genéticos e ambientais. Fatores genéticos: Genes alfa- cinucleína e o Parkin, responsável por reduzido número de casos. Fatores ambientais: Agrotóxicos, uso de água de poço, vida rural, etc. Não se obtendo certeza que nenhum desses fatores sejam responsáveis pela Doença de Parkinson.

TRATAMENTO DA DOENÇA DE PARKINSON:

1- Selegilina;

2- Amantadina;

3- Anticolinérgicos;

4- Levodopa;

5- Agonistas dopaminérgicos.

OUTROS TRATAMENTOS:

Fisioterapia: para promover, reeducar e manter a capacidade física do paciente através de exercícios e orientações posturais.

Fonoaudiologia: para prevenir e tratar os distúrbios da comunicação, através da reeducação da voz.

ORIENTAÇÃO À FAMÍLIA:

Embora não tendo cura, a Doença de Parkinson requer apoio e participação da família, no sentido de incentivar a manter suas atividades, tratamento e compreender suas dificuldades.

Fonte: Exercícios e Orientações na Doença de Parkinson.

Imagens: Wikipédia.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *