Apneia do Sono, Informações Importantes

A apneia do sono ficou conhecida por ocasionar roncos, mas faz muito mais do que provocar os mencionados roncos. Das etiologias aos sintomas, fique por dentro desse problema e os aparelhos que combatem a apneia do sono.A obesidade é uma das importantes causas da apneia do sono.

É característica da apneia do sono, os ruídos e interrupções na respiração repetidos pelo menos, cinco vezes no intervalo de um hora (60 minutos), não se tratando de um simples ronco ou ruído. Na apneia do sono, o barulho noturno é entrecortado por engasgos e o perigo é que muitas vezes o paciente não os percebe enquanto está dormindo. As pequenas entradas de ar ocasionam a diminuição da concentração de oxigênio no sangue. É por isso que surgem as consequências mais sérias desse distúrbio apneico.A redução de oxigênio ativa em excesso o sistema nervoso, que por sua vez aumenta o ritmo dos batimentos cardíacos, estimulando a contração dos vasos sanguíneos. Como consequência, esse mal permanece ao longo do dia. Daí a apneia do sono ser considerada um fator de risco para pressão alta e arritmia cardíaca.O distúrbio também favorece a concentração de gordura abdominal e a resistência à insulina (hormônio que permite que a glicose entre nas células e gerem energia), condições que favorece o aparecimento da diabete tipo 2./A apneia obstrutiva do sono é o distúrbio mais comum da doença. Nesses casos, o ar não  flui para as vias aéreas em decorrência de um bloqueio temporário provocado pelo relaxamento dos músculos da garganta, problemas anatômicos interferem nesse desconforto respiratório. Em crianças, o mal pode estar ligado ao aumento das adenoides, glândulas localizadas no nariz ou das amígdalas, estruturas que ficam na entrada da faringe.A apneia central do sono é um tipo de apneia mais raro, decorrente de uma alteração na região do cérebro responsável pelo controle da respiração.

Sinais e sintomas da Apneia do Sono 

*Roncos
*Respiração ofegante
*Sensação de estar sufocado durante o sono
*Sono agitado
*Sonolência durante o dia
*Dificuldade na concentração
*Cefaleia matinal

Fatores de risco para a Apneia do Sono:

*Obesidade
*Maxilar inferior curto, empurrando a língua para trás, ocluindo a garganta
*Tabagismo
*Bebida alcoólica em excesso
* Abuso no uso de sedativos
*Aumento em comprimento das amígdalas e adenoides
*Dormir em decúbito dorsal (barriga para cima)
*Tumores

A prevenção

Sendo a obesidade um dos principais fatores que desencadeiam a apneia, um saudável estilo de vida, com alimentação equilibrada e inclusão de exercícios físicos, é fundamental para solucionar o problema.

Os fumantes devem se esforçar para abandonar o cigarro, porque o hábito costuma piorar seu estado. É recomendado também diminuir as doses de bebida alcoólica, que em excesso interferir no sono normal e no relaxamento dos músculos da garganta, se transformando em gatilho para a apneia do sono.

Diagnóstico da Apneia do Sono 

A informação de sono agitado e com ruídos é o ponto de referência para detectar a apneia do sono, sendo a avaliação do/a cônjuge é muito bem aceita. A confirmação pela análise do distúrbio é feita por meio de um exame chamado poli-sonografia, realizado em laboratório do sono de um hospital ou clínica especializada. O paciente passa a noite ligado a um aparelho que registra parâmetros como os batimentos cardíacos, a atividade cerebral, o movimento dos olhos, a respiração e o nível de oxigênio no sangue.

Existe a possibilidade fazer o monitoramento com um aparelho portátil do comprimento de um relógio, que fica preso ao pulso e em dois dedos da mão. Ele é colocado na hora de dormir e registra as condições de sono. Posteriormente o dispositivo é levado para o médico, que visualiza os resultados na tela do computador.

Tratamento da Apneia do Sono:

Ficar ciente da etiologia do distúrbio é fundamental para o médico estabelecer as medidas de controle da Apneia do Sono. Se o paciente for obeso, a meta inicial é a perda de peso, associada a exercícios fonoaudiológicos para fortalecer a musculatura da garganta.

Apneias mais leves, ocasionadas frequentemente pelo hábito de respirar pela boca, costumam ser tratadas com dilatadores de narinas.
Para os pacientes com mandíbula curta, os aparelhos ortodônticos fabricados sob medida impulsionam a ossatura ou baixam a língua, facilitando a passagem de ar e melhorando a respiração.

Uma das maneiras mais capazes para solucionar as pausas respiratórias durante o sono é o uso de um aparelho denominado CPAP, sigla de pressão positiva contínua das vias aéreas, em inglês. Como o nome já indica, o CPAP é uma máscara que cobre o nariz e a boca e joga o ar para as vias respiratórias. O CPAP é considerado o aparelho padrão mais importante no tratamento da apneia do sono. Quando o distúrbio é uma falha anatômica na anatomia da face ou das amígdalas, são indicadas as cirurgias.

Fonte: Pesquisa online

Imagens: Google

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *